31 de março de 2005

Vida Ou Morte De Schiavo?

Quem pode decidir, em consciência, a vida ou morte de Terri Schiavo, uma mulher de 41 anos que após um AVC se encontra em estado vegetativo há 15 anos? Alguém pode dispor desse poder?

A história, que está a apaixonar os EUA e a Europa, resume-se a isto: o marido conseguiu que um juiz estadual autorizasse que lhe fosse retirado o tubo que a alimenta artificialmente, o que conduzirá à sua morte, em agonia lenta, nos próximos 15 dias.
Os pais de Terri, por sua vez, e invocando a sua incapacidade de exprimir o que quer, em consciência plena das suas faculdades pediram a um juiz federal que ordenasse a recolocação da alimentação artificial, pedido que foi ontem recusado.

Para se chegar até aqui, o caso envolveu a Câmara dos Representantes e o próprio Presidente Bush, que assinou, na sexta-feira, uma lei que determina que casos destes só podem ser decididos por juízes e tribunais superiores. Foi uma boa tentativa, mas sem efeito, de momento.
A batalha legal ainda não terminou, e os argumentos são cruzados mas importantes para reflectir. O marido de Terri invoca o desejo da sua mulher, que, não podendo esprimi-lo há 15 anos, se baseia em comentários com amigas quando casos idênticos eram noticiados. Os pais, por sua vez, e lembrando a sua qualidade de católica romana, garantem que ela jamais tomaria essa decisão, baseados nos dogmas da igreja.
Bush, para explicar a sua decisão inédita, mas não possuindo poderes para mandar recolocar o tubo de alimentação, argumentou que em caso de uma decisão errada, que até poderia ser, na opinião do marido, ela seria sempre aceitável e minimizada pelo facto de se ter optado pela vida. "É preferível errar em nome da vida do que da morte."

Quem tem poderes nesta Terra, para ordenar a morte de Terri Schiavo? Um Juiz? O marido, baseado em conversas da amigas?
Sendo católica romana e acreditando nos dogmas da fé, poruqe não deixar que Deus decida por Schiavo?
Matá-la, assim, à fome e sede, numa agonia horrorosa, é desumano, cruel, insensato e arrepiante.


Luís Delgado in Linhas Direitas, Diário de Notícias 23 de Março de 2005

1 comentário:

Gonçalo Rosas disse...

Azeredo, bem-vindo à blogosfera.